NOTÍCIAS - Mercado



Escassez de borracha é o novo risco para a indústria automotiva

Com o preço subindo, fabricantes dos EUA são os primeiros a aumentar compras para não ficar sem pneus e outros derivados.


Como se não bastasse a escassez de mundial de semicondutores, que tem obrigado inclusive fábricas no Brasil a parar sua produção, agora surge no horizonte um novo produto que deve começar a desaparecer dos estoque: a borracha, essencial para a produção de pneus e outros itens utilizados na fabricação de veículos, como tapetes, tubos e materiais isolantes.

Os suprimentos mundiais de borracha estão se reduzindo drasticamente, problema causado por uma série de fatores, como o crescimento repentino da demanda mundial, o aumento dos estoques na China e uma doença que atacou as árvores que produzem a matéria-prima natural, como relata reportagem da agência Bloomberg.

Com esse cenário se agravando, fabricantes de pneus e outros fornecedores das montadoras nos Estados Unidos já começaram a aumentar o total de encomendas a fim de evitar que fiquem sem borracha para sua produção interna. Nessa indústria há um grande receio de que a escassez da borracha pode se tornar em breve uma nova versão da crise dos semicondutores, que alguns analistas já avaliam que pode se estender por anos.

“É como toalhas de papel no início da crise da Covid-19. Se você conseguir colocar as mãos em algum plástico ou borracha, vai pedir mais do que precisa, porque não sabe quando vai conseguir fazer a próxima encomenda”, diz Steve Wybo, da consultoria Conway MacKenzie, em relato à Bloomberg.

 

O problema começou em 2020, quando a China manteve seu volume de compras de borracha natural quase igual ao do ano anterior, mesmo tendo interrompido sua produção local por conta do auge da pandemia no país. Ao mesmo tempo, o fornecimento de borracha para os Estados Unidos na época foi reduzido, a ponto de zerar os estoques de muitas fábricas americanas.

Com a normalização da produção mundial, a escassez do produto foi aumentando. Em fevereiro deste ano, a borracha natural estava cotada a cerca de U$ 2 por quilo, a maior alta dos últimos quatro anos. Mas quem trabalha nessa indústria estima que os preços ainda vão subir mais, podendo alcançar os US$ 5 dentro de cinco anos.

O USO DA BORRACHA NATURAL

 

A borracha natural é produzida hoje a partir de seringueiras cultivadas na Tailândia (o maior produtor e exportador mundial) e Vietnã. Apesar de a borracha derivada do petróleo ser a preferida na maioria do uso industrial, a versão natural é essencial para aplicações específicas, como luvas e materiais para embalagem, produtos que tiveram uma explosão de demanda durante a pandemia.

Com a quebra dessa cadeia, ocorreu um desarranjo geral em todo o ecossistema ligada à produção de borracha. Como essa indústria é dominada por pequenos proprietários, é mais difícil para eles se ajustarem rapidamente a mudanças de demanda, o que acaba provocando alterações sensíveis no preço e no abastecimento ao longo de todo o processo, do fornecedor da matéria-prima ao consumidor final, no caso as montadoras.

As grandes montadoras nos Estados Unidos, incluindo Ford e Stellantis, estão acompanhando tudo de perto e dizem oficialmente que ainda não sentiram um grande impacto. A GM relata que, por enquanto, não está preocupada com seu suprimento de borracha.

Mas a fabricante francesa de pneus Michelin reconhece que já precisou contornar o congestionamento dos portos usando remessas aéreas de frete diretamente da Ásia. Enquanto isso, os fabricantes de médio e pequeno porte estão passando por um aperto e, com a falta do produto, passaram a aumentar suas compras sempre que o insumo estivesse disponível para formar estoques. “Eu já avisei todo mundo que vou comprar tão rápido quanto eles conseguirem produzir”, disse à Bloomberg Gary Busch, diretor de compras globais do Carlstar Group, que fabrica pneus para veículos off-road e agrícolas.

 

 

Fonte: Automotive Business



Mercado

Indústria de pneus registra queda de 73% das vendas em abril

Acontece

Respeito e Responsabilidade. Pratique no trânsito.

Acontece

Borracha começa a atrasar linha das grandes montadoras

Mercado

Venda de pneus cresce 10% em março e 5,4% no trimestre


Veja todas as noticias










SERVIÇO DE ATENDIMENTO
Tel: (11) 5095-3840
E-mail: comercial@abr.org.br

LOCALIZAÇÃO
Av. Pavão, 955 Cj 18 - Moema
São Paulo / SP


Copyright 2021 - Todos os direitos reservados
ABR - Associação Brasileira do Segmento de Reforma de Pneus